Dia Nacional do Vinho: uma data para comemorar!

No primeiro domingo de junho é comemorado o Dia Nacional do Vinho. Para celebrar, as vinícolas costumam, nesta época, programar uma série de eventos. A data é uma ótima oportunidade para conhecer um pouco mais sobre a bebida mais charmosa do mundo.

E o I Love Vinhos entrou na onda!

 

Tudo sobre o Dia Nacional do Vinho

A ideia da criação da data foi enaltecer a produção brasileira de vinho. O projeto de lei que institucionalizou o Dia Nacional do Vinho é de 2008, mas foi em 2015 que o senador Lasier Martins encaminhou o requerimento à publicação. Em 2017, o projeto foi aprovado e desde então celebramos a data.

Atualmente, a data é comemorada não só no sul do Brasil, onde há maior concentração de vinícolas, mas em boa parte do país, a exemplo de São Paulo e Minas Gerais.

Evidentemente, entretanto, não se pode deixar de mencionar que a serra gaúcha é a região que de fato mais produz a bebida no país. Mais de 600 vinícolas estão por lá. Para se ter ideia, em todo o Brasil, estima-se haver cerca de 1,1 mil vinícolas. Juntas, movimentam bilhões de reais todos os anos.

 

E por falar em grandes números…

O ano passado foi histórico para o vinho no Brasil. Apesar da pandemia que assolou o mundo, 2020 ficou marcado no Brasil como a “Safra das Safras”. Desde 2013, as vinícolas não superavam os 20 milhões de litros.

Em 2019, 15,4 mi de litros foram produzidos. Já em 2020, o número saltou para exatos 24,2 mi.

Estes são os dados oficiais da União Brasileira de Vitivinicultura (Uvibra), com base no Sistema de Cadastro Vinícola da Secretaria Estadual da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural do Rio Grande do Sul e do Ministério da Agricultura.

Em termos de comercialização, outro salto. No critério quantidade de consumo, o Brasil bateu 2,68 litros per capita. Esta matéria que publicamos aqui no blog mostra esse crescimento no consumo de vinho.

 

Um gole de história: o Vinho no Brasil

O Dia Nacional do Vinho também pede dois dedinhos de história, não é mesmo?

As primeiras videiras trazidas ao Brasil datam possivelmente de 1532, a partir da expedição colonizadora de Martim Afonso de Souza. Brás Cubas, fundador da cidade de Santos, é, reconhecidamente, o primeiro a cultivar a vinha em nossas terras.

O fato é que assim que chegaram, os portugueses começaram a trazer às terras brasileiras parte do que consumiam na Europa, incluindo as videiras.

Assim, no período em que a ocupação portuguesa ocorria no Brasil, o vinho era um produto para ocupar cada vez mais regiões. Historiadores relatam que bandeirantes levavam videiras e estacas para o interior. O objetivo era tanto conquistar terras quanto fixar a produção.

Mais tarde, depois da abolição da escravatura, quando os primeiros imigrantes europeus chegaram ao sul do Brasil, implantou-se uma cultura mais rica de produção vinícola no Rio Grande do Sul – apesar da produção na região datar de 1626, época dos jesuítas. Embora o processo de cultivo fosse o mesmo, a uva era diferente. Assim, aos poucos, as vinícolas deixaram de fazer somente a produção familiar e foram se transformando em negócios.

Para expandir além da serra gaúcha, o vinho desta região era transportado por carroças e no lombo de burros para outras cidades e estados. Assim, o vinho gaúcho tornou-se renomado e a viticultura se fortaleceu como um importante pilar econômico da região.

Para saber mais sobre a história do vinho no Brasil, acesse o site da Associação Brasileira de Enologia.

 

Celebre a data com vinhos brasileiros!

Nada melhor do que celebrar o Dia Nacional do Vinho com rótulos que são nossos!

Por isso, fizemos uma seleção de vinhos para você conhecer e se apaixonar!

 

Aurora Gran Reserva Tannat

O nome já diz tudo: o Aurora Gran Reserva Tannat 2018 é um poderoso vinho tinto com cor rubi profunda e toda a personalidade da uva rica em taninos.

Por ser marcante, harmoniza bem com pratos de mais presença, como as carnes mais gordurosas e aromáticas. Os pratos com acidez elevada também costumam combinar muito bem com vinhos Tannat, já que a adstringência da bebida é “amaciada” e a acidez do prato é equilibrada. Com uma combinação dessas, você tira o melhor tanto da comida quanto do vinho!

A vinícola Aurora é brasileira, com longa tradição no mercado e um histórico super interessante de rótulos como esses que abordamos aqui: sofisticados, com muita qualidade e, mesmo assim, super leves no bolso. Vale à pena conhecer o Gran Reserva Tannat e expandir sua degustação para os demais vinhos da casa!

 

Casa Perini Sauvignon Blanc

O Sauvignon Blanc da Casa Perini, outra vinícola brasileira cheia de tradição, tem todo o frescor do maracujá e a delicadeza da erva cidreira. Mesmo que delicado, tem toda a personalidade de uma boa uva Sauvignon Blanc – tudo o que a gente espera encontrar em um vinho jovem de qualidade.

Essa opção refrescante fica na casa dos 50 reais e é ideal para acompanhar pratos suaves: comida japonesa, queijos frescos de textura cremosa, frutos do mar e massas com molhos mais claros. Por ser leve, vai bem até nos dias mais quentes, e é perfeito para o clima tropical de muitas das regiões do Brasil!

 

Miolo Frisante Almaden Moscatel Blanc

Procurando por um frisante delicioso com preço mais gostoso ainda? O Almaden Moscatel Blanc é um vinho branco frisante que não decepciona, com aquela personalidade festiva que toda comemoração merece. Esse é o primeiro vinho de aromas florais da nossa lista, com Jasmim bem pronunciado e toques de frutas tropicais. Possui ótimo equilíbrio entre acidez e doçura, motivo pelo qual fica incrível em drinks.

A Vinícola Miolo, de grande relevância na vinicultura brasileira, é quem produz esta preciosidade. Desembolsando menos de 30 reais você transforma qualquer dia comum em um motivo para comemorar com quem se ama!

 

Vinho San Severo Bordô Tinto Seco

Não, você não leu errado! O San Severo Bordô Tinto Seco tem um preço incrível e é campeão de vendas na nossa parceira Werle Comercial. Trata-se de um vinho de mesa com perfume perceptível no olfato. Produzido com 100% de uva bordô, não tem corte de outros tipos de uva, deixando-o com cor mais intensa e paladar mais marcado em relação ao vinho tinto de mesa.

Também produzidos na serra gaúcha, todos os rótulos da San Severo merecem estar na sua adega já!

 

E você, pretende comemorar o Dia Nacional do Vinho com qual rótulo? Conte pra gente!

Delci Werle é sommelière gaúcha, casada, mãe de duas filhas. Da família de descendência alemã, herdou a paixão por vinhos e gastronomia. Com o marido, veio o empreendedorismo e a distribuição de bebidas em São Leopoldo, Rio Grande do Sul.

No currículo, cursos e conhecimentos diversos. Graduada na área da educação nos anos 80, passando por Secretariado Bilíngue (Unisinos) e mais recentemente um MBA em Inovação, Liderança e Gestão 3.0 (PUC-RS), Delci já trabalhou como professora e por longos anos esteve na indústria.

De 2009 pra cá, a gestão dos negócios tomou conta da sua rotina em definitivo. Atualmente, Delci está à frente da Werle Comercial, um dos maiores e-commerces de bebidas do Brasil. Ela sabe que empreender não é tarefa fácil atualmente, mas o desafio também é seu hobby: “o empreendedor deve estar em constante atualização, sempre atento às tendências de comportamento dos consumidores. Tenho sede por conhecimentos, novidades. Estou sempre me atualizando e de olho no que acontece no mercado!”.

Deixe um comentário